terça-feira, 26 de março de 2013

REALISMO E NATURALISMO


 REALISMO E NATURALISMO


Panorama histórico:

 - Socialismo, cientificismo, evolucionismo, positivismo, lutas antiburguesas, 2ª Rev. Industrial;

Em 1881, com a publicação de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, inicia-se o Realismo no Brasil.

No Brasil: abolição, República, romance naturalista, poesia parnasiana.


Características do Realismo:

    Objetivismo;
    Descrições e adjetivações objetivas;
    Linguagem culta e direta;
   Mulher não idealizada; real. Ex.: Marcela e Virgília (Memórias Póstumas de Brás Cubas), Sofia (Quincas Borba)...
    Amor e outros interesses subordinados aos interesses sociais;
    Herói problemático;
    Narrativa lenta, tempo psicológico;
    Personagens trabalhados psicologicamente.

Principal autor:

Machado de Assis com “Memórias Póstumas de Brás Cubas” (1881); “Quincas Borba”, “Dom Casmurro”, “Esaú e Jacó” e “Memorial de Aires”.

MACHADO DE ASSIS E O ROMANCE REALISTA
    1ª FASE (Tendências românticas) Obras: Ressurreição, A mão e a luva, Helena, Iaiá Garcia


Características Gerais:

 - crença nos valores da época;

 - estrutura de folhetim

 - esquematismo psicológico.


    2ª FASE (Tendências realistas)

             - Obras: Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom Casmurro, Esaú e Jacó e Memorial de Aires.

Características Gerais:

 - Análise psicológica (os seres vistos em sua complexidade psíquica)

 - Análise dos valores sociais (os valores que a sociedade cria para justificar sua própria existência)

- Pessimismo (descrença nos indivíduos e na organização social)

 - Ironia (o chamado “sense of humor”, inspirado nos ingleses Stern e Swift)

 - Refinamento da linguagem narrativa.

    Principais personagens:
      Brás Cubas, Vigília, Quincas – (Memórias Póstumas de Brás Cubas)
      Bentinho, Capitu, Escobar, José Dias,  – (Dom Casmurro)
     Quincas Borba, O cão e o Filósofo, Rubião, Sofia e Palha – (Quincas Borba)



ROMANTISMO x REALISMO

Principais diferenças entre Romantismo e Realismo:


ROMANTISMO (1836-1881)

 - Ênfase na fantasia;

 - Predomínio da emoção;

 - Proximidade emocional entre autor e os temas;

 - Subjetividade;

 - Escapismo (literatura como fuga da realidade);

 - Personagens idealizados;

 - Nacionalismo;


   REALISMO (1881 – 1893)



 - Ênfase na realidade;

 - Predomínio da razão;

 - Distanciamento racional entre o autor e os temas;

 - Objetividade;

 - Engajamento (literatura como forma de transformar a realidade)

 - Retrato fiel das personagens;

 - A mulher numa visão real, sem idealizações...

 - Universalismo.


    Naturalismo (características)

 - Determinismo biológico;

 - Objetivismo científico;

 - Temas de patologia social;

 - Observação e análise da realidade;

Ser humano descrito sob a ótica do animalesco e do sensual;

 - Linguagem simples;

 - Descrição e narrativa lentas

 - Impessoalidade;

 - Preocupação com detalhes.

Principais autores: Aluísio Azevedo,

“O mulato”, em 1881: início do Naturalismo no Brasil; “O Cortiço”,

 Raul Pompéia, “O Ateneu”.



DIFERENÇAS ENTRE REALISMO E NATURALISMO

  REALISMO

 - Forte influência da literatura de Gustave Flaubert (França).

 - Romance documental, apoiado na observação e na análise.

 - A investigação da sociedade e dos caracteres individuais é feita “de dentro para fora”, por meio de análise psicológica capaz de abranger sua complexidade, utilizando a ironia, que sugere e aponta, em vez de afirmar.

 - Volta-se para a psicologia, centrando-se mais no indivíduo.

 - As obras retratam e criticam as classes dominantes, a alta burguesia urbana e, normalmente, os personagens pertencem a esta classe social.

 - O tratamento imparcial e objetivo  dos temas garante ao leitor um espaço de interpretação, de elaboração de suas próprias conclusões a respeito das obras.


   Naturalismo

 - Forte influência da literatura de Émile Zola (França).

 - Romance experimental, apoiado na experimentação e observação científica.

 - A investigação da sociedade e dos caracteres individuais ocorre “de fora para dentro”, os personagens tendem a se simplificar, pois são vistos como joguetes, pacientes dos fatores biológicos, históricos e sociais que determinam suas ações, pensamentos e sentimento.

 - Volta-se para a biologia e a patologia, centrando-se mais no social.

 - As obras retratam as camadas inferiores, o proletariado, os marginalizados e, normalmente, os personagens são oriundos dessas classes sociais mais baixas.

 - O tratamento dos temas com base em uma visão determinista conduz e direciona as conclusões do leitor e empobrece literariamente os textos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário